1º Encontro do HUB da Indústria destaca importância de automatizar os serviços para melhorar gestão

A iniciativa, que reúne 60 empresas de diversos setores, objetiva fomentar a capacitação tecnológica para micro e pequenos empresários

Foto: Pedro Oliveira.

Nos adaptarmos às constantes mudanças sociais tem sido um desafio, mas não há como negar que este desenvolvimento e integração entre os mundos – físico e digital – fundem-se trazendo inovações que facilitam o nosso dia a dia. Nesta perspectiva, visando contribuir com o desenvolvimento das micro e pequenas empresas, por meio da promoção tecnológica na cadeia produtiva e elevar a maturidade digital do setor industrial brasiliense, o Sebrae no DF, em parceria com Federação das Indústrias do DF (Fibra), Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos (Finatec) e do Centro de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico (CDT) da Universidade de Brasília desenvolveu o projeto HUB da Indústria do Distrito Federal.

A iniciativa, que reúne 60 empresas do setor de Vestuário, Alimentício, Construção, Concreto, Mármore, Granito e Artefatos, foi lançada nesta quinta-feira, 26, e marcou o início das atividades que nesta fase piloto atenderá os seguintes eixos: Diagnóstico e Capacitação; Transformação e Solução; Conexão e Interação.

A Superintendente do Sebrae no DF, Rose Rainha, pontuou que contribuir com o desenvolvimento do pequeno empresário auxilia no progresso de toda a sociedade. "Precisamos ajudar o micro para que ele tenha competitividade para enfrentar o mercado e, capacitá-lo, é a principal ferramenta. Esta ação reúne parceiros importantes da área de inovação e tecnologia, vemos com alegria este projeto que proporcionará o desenvolvimento destas empresas". Rose Rainha frisou que o mundo digital é uma cadeia produtiva capaz de potencializar os resultados a partir da ampliação de públicos, vendas e receitas. Contudo, para isso, é preciso estar inserido nele.

Para Jamal Bittar, presidente da Fibra, a indústria 4.0 é um caminho sem volta. "A inovação, a criação, o digital são coisas inevitáveis e nós temos disponibilidade de, em conjunto com os diversos setores, fazermos uma modelagem para poder ampliar isso num futuro breve", destacou.

As empresas que aderirem ao projeto receberão gratuitamente acompanhamento técnico em atividades de apoio à transformação digital. "Esse é o grande momento para transformamos Brasília em uma cidade referência no campo da tecnologia, na formação tecnológica e pulverizar essas ações para nossa população. Começa pelas instituições empresariais e a gente espera que irradie fortemente", conclui Jamal Bittar.

"Nosso intuito é proporcionar com esse HUB da Indústria um ecossistema para que todas as empresas beneficiárias do projeto possam fazer sua transformação digital, numa conexão dos empreendedores com a academia e todo o núcleo de empresas que habitam aqui no Distrito Federal", salientou Igor Nogueira Calvet, presidente da ABDI. O gestor também acentuou que o objetivo da ABDI é, a longo prazo, ampliar o montante dos investimentos para fomentar o trabalho realizado nas empresas. "Esperamos que as empresas que serão atendidas neste primeiro momento aprimorem a sua transformação digital, e, com isso, consigam vender mais, gerem mais empregos de qualidade e aperfeiçoem a transformação digital aqui no Distrito Federal."

Outro destaque no evento foi o tema "Automação em Gestão Empresarial", escolhido a partir dos diagnósticos realizados, em que se constatou a dificuldade dos empresários em gerir os estoques e acompanhar os resultados financeiros. Segundo os dados, isso se deve à baixa capacitação dos funcionários e indisponibilidade de tempo dos gestores.

Ao apresentar a história de sucesso de sua empresa, o CEO da Empresa BirminD, Diego Mariano, mostrou programas gratuitos que podem contribuir com a organização, tanto de um, quanto de outro. "Nós iniciamos com muita cautela, uma equipe enxuta que segue reduzida até hoje, mas que tem trazido resultados significativos. Para isso, o primeiro passo é capacitar sua equipe para exercer as funções que vão desde prestar um bom atendimento até gerenciar o fluxo financeiro", ressaltou. Logo, o sistema precisa ser integrado, pois reduz tempo e custo, além de padronizar a qualidade dos serviços.

O Instrutor Internacional da Dale Carnegie Training, Lemuel Silva explicou aos empresários sobre Automação e como melhorar a gestão das empresas. Com esse foco, serão realizadas, ainda neste trimestre, capacitações em marketing (ferramentas e serviços para inserção na internet); acompanhamento de métricas de mídias sociais e sites; e gestão de estoques.

Após esta fase serão executados os outros dois eixos: Solução e Transformação, com curadoria, aconselhamento e acesso dos participantes a ferramentas digitais aplicáveis à solução de seus maiores desafios; e Conexão e Interação, com integração e incentivo à inovação aberta em transformação digital, por meio de ações entre empresas, startups, governo, academia e outros agentes que compõem o ecossistema de inovação. As empresas serão acompanhadas até junho deste ano.

Postar um comentário

ABRASSP - Associação Brasileira de Síndicos e Condomínios

Postagem Anterior Próxima Postagem
BRB


Bio Caldo - Quit Alimentos