Relacionamento tóxico: o que nos faz, conectarmos com pessoas abusivas?

  





Uma das principais características de um relacionamento tóxico, é a capacidade que a relação tem, de diminuir ou tornar disfuncional a autoestima de uma das partes, na medida que o algoz, ultrapassa os limites da vítima.

Mas porque em pleno século XXI, com tantas informações disponível, e com o autoconhecimento acessível a todos, algumas pessoas ainda se submetem a nutrir uma relação tóxica?

Partindo do pressuposto que somos seres biopsicossociais, e que o nosso contexto social interfere diretamente no nosso modo de ser e pensar, um dos principais motivos está relacionado ao amor romantizado, que ainda é construído socialmente. Sabe a história dos contos de fada, em que o príncipe e a princesa se encontram e vão ser felizes para sempre? 

Quando caímos na historinha dos contos de fadas, outra história vem de brinde: que cada um tem a sua metade, e que somos partes incompletas à procura de uma outra parte, para então nos sentirmos inteiros e felizes.

Se acreditamos, que só seremos felizes quando encontrarmos alguém com quem tenhamos match, a uma grande probabilidade de terceirizarmos o nosso bem-estar para o outro.

O problema é, que a maneira como estabelecemos as nossas relações, está enraizada na nossa infância, especialmente na nossa relação com os nossos acolhedores. Quando por algum motivo, essa relação nos ofertou algum significado de falta, podemos nos tornar adultos altamente carentes afetivamente. 

De acordo com a Psicóloga Kerielle Rodrigues, essa carência afetiva, poderá ser terreno fértil para qualquer tipo de dependência emocional ou mesmo abuso, especialmente se o parceiro for tóxico ao mesmo tempo que nos oferta algo que outrora nos faltou. 

Assim sendo, quando o parceiro é tóxico e apresenta comportamentos abusivos como, manipulação, ciúmes, críticas explicitas ou sutis, controle, ameaça, comunicação tóxica, entre outros, a vítima vai se condicionando ao ciclo de abuso.

A recorrência de episódios abusivos faz com que ela jugue ser inferior, ao mesmo tempo que nutre a crença de que não viverá feliz sem a sua idealização de amor. 

É como se ela, fechasse os olhos para questões que ferem a sua autonomia, individualidade, e autoestima em geral, em prol daquilo que te faz crer que encontrou a “metade da sua laranja”.

Seria este o motivo pelo qual, os índices relacionados a violência contra a mulher só aumentam a cada ano?

De acordo com a OMS, ao longo da vida, uma em cada três mulheres, cerca de 736 milhões, é submetida à violência física ou sexual por parte de seu parceiro ou violência sexual por parte de um não parceiro - um número que permaneceu praticamente inalterado na última década. 

Por isso, pode-se dizer que as relações tóxicas são profundamente desgastantes e prejudiciais para a saúde emocional das pessoas envolvidas — tanto em relacionamentos com sinais mais explícitos, quanto naqueles que apresentam características mais sutis de serem reconhecidas.

Nesse sentido, segundo a psicóloga, precisamos falar mais sobre temáticas relacionadas ao autoconhecimento e a importância do amor próprio, já que se pode dizer que um relacionamento tóxico é fruto da ausência destes requisitos.


Mais informações: @keriellepsi

Postar um comentário

ABRASSP - Associação Brasileira de Síndicos e Condomínios

Postagem Anterior Próxima Postagem
BRB


Bio Caldo - Quit Alimentos