Grupo Fujioka comemora 60 anos de uma história entrelaçada com a nossa capital

Oferecendo serviços de fotografia, a marca chegou a Brasília em 1979. O estúdio se tornou um ponto de encontro entre os moradores para registrarem suas memórias



Há pouco mais de seis décadas, nascia do sonho de Dom Bosco, a capital da República. Brasília completa 64 anos com uma pluralidade de público, sotaques e costumes. Em meio aos anos de resistência, estão as antigas lojas da cidade que vencem as adversidades e fazem parte desta história. Um exemplo é o Grupo Fujioka, que não só se mantém ativo nos mesmos lugares, mas também amplia sua atuação.

A história do Fujioka em Brasília começou em 1979, com a criação de um estúdio completo para atender aos profissionais da fotografia. Na época, uma nova loja dedicada à revelação de fotos foi aberta ainda com o nome "Foto Sakura". Essa pequena loja, localizada no centro do Plano Piloto, foi o embrião do que seria o Fujioka que conhecemos hoje.


  
Naquela época, a capital ainda era uma cidade em construção e a loja rapidamente se tornou um ponto de encontro para os brasilienses, eternizando momentos especiais e contando as histórias da cidade através de imagens. "Na época, a publicidade e o boca a boca eram as formas de divulgação do negócio, então fizemos diversos investimentos em promoções para trazer o cliente ao estúdio. Os pôsteres, por exemplo, eram financiados em até 10 pagamentos", comenta Dvair Borges, diretor comercial do Grupo Fujioka.

Vendas para todo país

Tudo começou com um pequeno laboratório de fotoacabamento que atendia todo o interior de Goiás. Com o nome "Foto Sakura", o Fujioka iniciou suas atividades em Goiânia em 1964. Uma loja pioneira na região do Centro-Oeste com revelações em até 1 hora e, logo depois, passou a contar com o maior laboratório fotográfico colorido da região e do país.

"A intenção era desenvolver ações pioneiras, algo que sempre fez parte da nossa marca. Queríamos oferecer tudo o que era possível no campo da fotografia, desde o registro do nascimento e crescimento das crianças até fotos para documentos e em estúdio", afirma Dvair Borges, diretor comercial do Grupo Fujioka.

Hoje, o Grupo conta com mais de 14 lojas no segmento varejo, em Brasília. A rede mantém ativo dois e-commerces com vendas para todo país. Assim como no off, existe um canal voltado para o varejo e outro para vendas com CNPJ. "O negócio, que nasceu como uma empresa familiar e a partir da fotografia, é hoje uma referência nacional no segmento de distribuiç&at ilde;o de produtos de tecnologia. E agora estamos trabalhando intensamente para aumentar a nossa capilaridade e mix de produtos também em informática", comenta Dvair.

Novo modelo de negócio
Dentre essas seis décadas, além de ter expandido significativamente suas lojas físicas, o Fujioka ostentava, em paralelo aos seus sessenta anos no varejo, um modelo de mercado diferenciado: o Fujioka Distribuidor. Há pouco mais de um ano, esse novo modelo chegou a Brasília. O diferencial dessa unidade reside nos preços diferenciados para CNPJs, sem a exigência de quantidade mínima de compra.

O modelo de negócio é uma novidade por garantir boas oportunidades para todos os tipos de negócios, seja para o micro, pequeno ou médio empresário que queira utilizar o produto para uso próprio ou na operação de um estabelecimento. O modelo foi pensado para quem busca a oferta de um grande mix de produtos, inclusive os mais especializados e exclusivos.

Além das lojas físicas, os consumidores podem comprar de qualquer lugar do Brasil, por meio do site. São itens das maiores marcas do mundo relacionados à informática, áudio e vídeo, acessórios, beleza e celulares.

Postar um comentário

ABRASSP - Associação Brasileira de Síndicos e Condomínios

Postagem Anterior Próxima Postagem
BRB


Bio Caldo - Quit Alimentos