CICMED reúne quase mil profissionais da área de saúde em São Paulo para falar sobre benefícios da cannabis Medicinal

 Em sua segunda edição, a Conferência Internacional da Cannabis Medicinal (CICMED) contou com mais de 50 palestrantes para tratar dos desafios do setor, tratamentos e novas regulamentações; a abertura, nesta quinta-feira  (4) reuniu especialistas, empresários e políticos no Centro de Convenções Frei Caneca


                                     


Parlamentares, médicos, políticos, empresários, pacientes e pesquisadores se reuniram durante a 2ª edição da Conferência Internacional da Cannabis Medicinal (CICMED), evento organizado pela Eventmed para debater os benefícios da cannabis medicinal para a saúde. Entre os temas abordados estão os novos desafios de regulamentação do setor e os avanços que já foram realizados até agora. O evento, que teve início nesta quinta (4), no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo, segue até este sábado (5).


Participaram da abertura da conferência o coordenador-geral da CICMED e sócio fundador da EVENTMED, Breno Luz, o coordenador executivo da CICMED, Enrique Pena; Paula Vinha, doutora, PHD, mestre, especialista em medicina integrativa e intensiva e também membro da Associação Panamericana de Medicina Canabinoide; o deputado estadual Caio França, autor da lei que inclui a cannabis medicinal no SUS; e o secretário de saúde de Sergipe, o médico Walter Pinheiro. O deputado federal William Dib, que atuou como presidente da Anvisa, também presente, foi um dos homenageados juntamente com o químico israelense Raphael Mechoulam, in memorian.


O coordenador executivo da CICMED, Enrique Pena, destacou que a cannabis medicinal está promovendo maior qualidade de vida para pacientes de muitas doenças, inclusive as mais raras, num cenário em que muitas vezes a comunidade médica encontra maior dificuldade para encontrar tratamento eficaz. “Devemos ser um país que tem a cannabis medicinal como aliada, um tratamento complementar à medicina tradicional, a pesquisa científica, o tratamento alternativo. A possibilidade de criar uma qualidade de vida melhor para aqueles que tanto sofreram com esses anos todos de proibição, de falta de regulamentação”, declarou.


O coordenador-geral da CICMED e sócio fundador da EVENTMED, Breno Luz, celebrou o sucesso do evento e os avanços dos tratamentos com o canabidiol. Ele afirmou, ainda, que esta  2° edição atraiu mais de mil médicos, o que capacita o corpo de profissionais para prescrever medicamentos à base de cannabis. Ele destacou que existe um esforço concentrado em torno da ciência e da saúde dos pacientes. “O médico precisa ter conhecimento e segurança para prescrever. Nós temos mil médicos, no maior evento da América Latina. Temos 50 palestrantes que estão entre os maiores nomes do setor no mundo, para ensinar como o medicamento pode ser utilizado. É um grande esforço em trazer ciência para o Brasil”, disse. 


Já a coordenadora científica do CICMED, Paula Vinha, que é doutora, PHD, mestre, especialista em medicina integrativa e intensiva, membro da Associação Panamericana de Medicina Canabinoide, lembrou da luta de muitas mães para o avanço no acesso aos tratamentos. “Estamos aqui agora porque temos o apoio de todas as mães na nossa luta, de todos os deputados. Tem gente que até hoje questiona se pode usar cannabis medicinal no Brasil. Pode, desde 2014. Quero agradecer as mães, deputados e as empresas que estão apoiando nosso evento. Em 1970, um pesquisador isolou e estudou o THC e incentivou pesquisas em todo o mundo”, destacou.


Histórico - Atualmente, o desenvolvimento de terapias com a cannabis medicinal é permitido no Brasil por meio de resoluções e leis estaduais. A legislação tem avançado para permitir que pacientes tenham acesso aos tratamentos e possam ter direito ao uso dos medicamentos inclusive por meio do Sistema Único de Saúde. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) permite o uso de 25 produtos de cannabis.


Neste ano, São Paulo, por exemplo, deu um salto no acesso ao tratamento graças a uma lei estadual. Um dos convidados do primeiro dia da conferência, o deputado estadual Caio França, é autor da lei que inclui a cannabis medicinal no SUS. A lei foi sancionada no começo deste ano pelo governador Tarcísio de Freitas.


O parlamentar destacou, em seu discurso, que além da frente parlamentar sobre o tema, o legislativo estadual discute agora regulamentação para a lei que foi aprovada. “Aqui em São Paulo, de forma pioneira, conseguimos aprovar um projeto de lei. Depois de três anos e meio e após uma grande mobilização, conseguimos que fosse sancionado pelo governador. De lá pra cá, foi formado um grupo de trabalho para fazer a regulamentação desta lei. Temos lutado muito para garantir a liberdade dos médicos que a lei possa fazer efeitos o quanto antes”, destacou.


Homenagens - O deputado federal Willian Dip - ex-presidente da Anvisa, responsável pela aprovação da utilização medicinal da Cannabis no Brasil -  foi um dos homenageados desta edição do evento. “Eu queria dirigir essa homenagem para três segmentos. O primeiro, das mães dos pacientes que se trataram no Brasil, que procuraram os consultórios e eu tive que aprender, pesquisar e desbravar caminhos para chegar no dia de hoje. O outro segmento, é dos agentes da Anvisa. Sem eles, não seria possível alcançar esse momento importante que a cannabis medicinal trás. E por fim, cumprimentar os médicos, os desbravadores, que ousaram, atenderam os anseios dos pacientes e iniciaram a prescrição da cannabis no Brasil”, ressaltou.


As homenagens foram lideradas pelo coordenador do evento, Breno Luz. “É com muita honra que eu faço essa homenagem ao médico, gestor, que contribuiu para estarmos todos aqui, trazendo a prescrição da cannabis medicinal e a venda nas farmácias e a exportação”, destacou. Outro homenageado, "in memorian”, foi o químico israelense de origem búlgara Raphael Mechoulam. Ele é conhecido como o “pai” da cannabis medicinal. Foi um dos pioneiros no estudo da erva e deixou um enorme legado científico.


Ao longo do dia, especialistas debateram o uso das terapias para tratar patologias como Alzheimer, Parkinson, depressão, anorexia, câncer, ansiedade, diabetes, HIV, esclerose múltipla, artrite e dermatite. Os debates do primeiro dia da conferência envolveram mais de 15 especialidades médicas, como endocrinologia, odontologia, neurologia e medicina veterinária. Além disso, foram ministrados dois cursos pre conferencia, que aconteceram na quinta (3), sendo um sobre Endocanabinologia e outro sobre Cannabis Medicinal na Prática Clínica. 


O evento conta, também, com a participação dos principais laboratórios e distribuidores de medicamentos do Brasil e do mundo como expositores.


Sobre a CICMED - Criada por meio da EVENTMED, empresa especializada na idealização e realização de eventos ligados à Medicina, a CICMED se destaca por ser o maior evento científico sobre cannabis medicinal das Américas. Criada devido a necessidade de disseminar o universo da cannabis medicinal no Brasil e no mundo, sobretudo diante da tendência do aumento de doentes crônicos, a 2° edição da CICMED reune mais de 50 autoridades nacionais e internacionais durante os três dias consecutivos do evento 3, 4 e 5 de agosto, em São Paulo.


Serviço

II Conferência Internacional da Cannabis Medicinal

Data: 03, 04 e 05 de agosto

Local: Centro de Convenções Frei Caneca - 4º Andar, R. Frei Caneca, 569 Bela Vista, São Paulo

Instagram: www.instagram.com/icicmed/

Facebook:www.facebook.com/icicmed?paipv=0&eav=AfbUWtsdKVavIpBCI6vpuHoeSdcSs11aDGafR6--NU4twa5ffStcaBberxxzSEsAcxI

Site: www.cicmed.com.br/


Postar um comentário

ABRASSP - Associação Brasileira de Síndicos e Condomínios

Postagem Anterior Próxima Postagem
BRB


Bio Caldo - Quit Alimentos